The Ritz-Carlton Hong Kong, no topo do mundo

Hong Kong é uma cidade de contrastes onde o moderno convive com o tradicional, o tempo imediato convive com o tempo saboreado e a cozinha exótica com a que sabe a casa. É a atmosfera única criada pela espiritualidade do oriente vivida ao ritmo da pulsação do ocidente. É ali que vamos encontrar o hotel do momento, membro da Ritz-Carlton e homónimo da cidade que o acolhe.

Cai o verde no sinal para os peões e a passadeira parece inundada por uma multidão. Dentro do carro, a música dá uma espessura melódica aos movimentos, como se um bailado se tratasse. É assim Hong Kong cheia de vida, luz e acção, mas sem nunca se tornar caótica. Este é provavelmente o resultado da combinação entre oriente e o ocidente materializado nesta ilha com 7 milhões de habitantes e uma das mais liberais economias do mundo. Por isso, convivem, lado a lado, os edifícios contemporâneos com os tradicionais que nos relembram que estamos em território chinês.

Nas majestosas alturas

E sem dar conta, cai a sombra sobre a estrada. À nossa frente, ergue-se o mais alto hotel do mundo: o novíssimo The Ritz-Carlton Hong Kong. Estamos no distrito de Kowloon e a experiência que se segue promete ser única. Conhecendo o grupo hoteleiro com uma história sólida na liderança do segmento de luxo com 75 hotéis espalhados pelo mundo, as expectativas são… altas.

Somos recebidos no nono andar, no lobby do International Commerce Centre, o quarto edifício mais alto do mundo. Daí conduzem-nos para o lobby do hotel, pelo elevador mais rápido de Hong Kong que, pelo que nos dizem, sobe a uma velocidade de nove metros por segundo. E num instante estamos no 103.º andar e a entrar no hotel. A primeira nota vai para a vista panorâmica sobre Hong Kong, a mesma que teremos de qualquer de um dos 312 quartos.

E só pela vista, esta parece ter sido uma aposta ganha. O antigo hotel Ritz-Carlton de Hong Kong fechou em 2008, depois de 14 anos aberto ao público, para mudar de localização e agora está literalmente no topo do mundo. A decoração cria uma atmosfera que combina o luxo com a modernidade. Com sobriedade, os quartos oscilam entre o branco e o castanho com detalhes de madeira. A mais recente tecnologia não foi esquecida e todos os gadgets se sentirão em casa com hi-fi, iPod ou leitor de DVD blu-ray.

Desfilar de surpresas

Neste hotel que se estende até ao último andar do edifício, o 118.º, as surpresas vão subindo de nível na mesma medida em que passamos de andar em andar. É no topo do edifício que repousam experiências únicas para serem vividas. E não nos referimos apenas à vista que se estende, pelo mar, para lá dos limites da ilha. É aqui que encontramos a piscina mais elevada do nosso planeta e que dá uma nova dimensão ao conceito de nadar com paisagem de cortar a respiração.

Depois do exercício é o momento para relaxar. Descemos até ao 116.º andar para experimentar o The Ritz-Carlton Spa by ESPA, a última tendência em spas urbanos. São nove salas de tratamento e duas suites para casal a funcionar em simultâneo. As preocupações ficam do lado de lá da porta.

Charme até mais não

Este é o espírito do Ritz-Carlton em Hong Kong: trendy, contemporâneo e com um serviço de excelência. E é exactamente isto que encontramos nos seis restaurantes e bares espalhados pelos vários pisos do hotel. No topo está o tão falado Ozone que, tal como o nome indica, parece deixar tocar a estratosfera (ver caixa). No andar 103.º repousa o paraíso dos fãs de chocolate, não há desejo nesta matéria que fique por concretizar. O Chocolate Library oferece até um chá de chocolate. Um piso abaixo está o Tosca que leva o dramatismo da ópera italiana dos sabores ao ambiente. Mas a cozinha asiática não foi esquecida. O Tin Lung Heen oferece o requinte da cozinha cantonesa, tendo salas privadas para reserva. Para quem quer apenas um chá ou tomar pequeno-almoço, por exemplo, o The Lounge & Bar é a opção ideal. E, ao pé do lobby, está o Pastry Gems com pequenos bolos que permitem comprar e levar quando não há tempo para mais. Em todos os casos, o dress code é smart casual.

O hotel de ladies and gentlemen conserva o charme e o requinte que a marca Ritz-Carlton nos habituou, com um toque de contemporaneidade que envolve e seduz. Tal como a cidade de Hong Kong que, todos os anos, atrai 20 milhões de visitantes para tratar de negócios ou simplesmente descobrir a ilha asiática mais ocidentalizada do mundo.

Sensação Ozone

O bar Ozone é a grande sensação do Ritz-Carlton Hong Kong. Do alto do 118.º andar, o ponto mais alto do edifício, a vista panorâmica sobre a pulsante cidade é o cenário para uma refeição que se adivinha inesquecível. O terraço é, por isso, a melhor opção. Os sabores preparados pela equipa prometem fazê-lo sentir-se ainda mais perto do céu. Tapas asiáticas, cocktails de assinatura e uma longa lista de vinhos são apenas alguns dos argumentos deste espaço a descobrir.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nova Kinda de Oeiras tem um corredor infinito e um Design Studio
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira