Ravella at Lake em Las Vegas

No deserto de Mojave, no estado norte-americano do Nevada, a noite tem uma luz mais intensa do que o dia. É o brilho ofuscante de mil e uma luzes de néon que define a silhueta deste lugar onde as mais loucas fantasias têm as três dimensões da realidade. Las Vegas, um oásis no deserto onde abriu portas o Ravella Lake.

Mais do que uma mera cidade, Las Vegas é um oásis de vida, de energia e também de dinheiro! O barulho das slot-machines e o colorido das fichas que se jogam sobre o pano verde dominam esta cidade feita de casinos. É a eles que deve em parte o seu estatuto de capital mundial do entretenimento. Ninguém a visita para ver monumentos históricos ou embrenhar-se na sua cultura, chegam em busca do dinheiro fácil e da pura diversão que esbate por momentos a realidade previsível do quotidiano. Fundada em 15 de Maio de 1905, a cidade tem sofrido um enorme crescimento visível sobretudo no número de unidades hoteleiras que nela têm aberto portas. Uma das mais recentes foge ao estereotipo de hotel temático e dá pelo nome de Ravella at Lake Las Vegas.

À beira do lago

São cerca de 30 minutos que separam a mais conhecida avenida de Las Vegas, The Strip, do resort para onde nos dirigimos. Chegámos de noite ao McCarran International Airport, e as luzes da cidade iluminavam o breu. Em seu redor nada, apenas o deserto.

O corpo pedia repouso depois de muitas horas de viagem e foi isso que lhe demos. Na manhã seguinte ao abrir a janela o cenário deixou-nos boquiabertos, tal a beleza envolvente. Aos nosso pés o lago e por detrás dele a imponência do deserto, com as suas pedras ancestrais. Era hora de partir à descoberta do resort.

Recentemente inaugurado, o Ravella at Lake Las Vegas foge de todo à ideia de que em Vegas todos os hotéis são temáticos. Aqui o que se procurou, e claramente conseguiu, foi criar um espaço que quase nos transportasse para o Mediterrâneo mas em pleno deserto. Um destino que se distinguisse de todos os outros pelos facto de ser…diferente. E de facto têm sido muitos os que rendidos ao charme deste hotel, ali descobrem uma série de momentos mágicos.

Lake Las Vegas nasceu da magnífica visão do actor e hoteleiro J. Carlton Adair que ali sonhou edificar um enclave habitacional e um destino de turismo para aqueles que procuram diversão, combinada com luxo e sofisticação. Os 320 acres do lago reflectem os maravilhosos pôr do sol que só o deserto proporciona. Ravella é o mais recente elemento de todo o resort, mas é simultaneamente aquele que o transporta para outra dimensão.

Paz, sim paz

Muito antes das águas terem sido redireccionadas para proporcionar o aparecimento do lago, a zona era um oásis por onde passavam viajantes e os primeiros habitantes do Nevada. Hoje são muitos os visitantes que usufruem da paz do maior lago artificial dos Estado Unidos, um escape da agitação características de Las Vegas.

Para que isso se torne possível muito contribuem os 314 quartos e 35 suites do Ravella, cada um deles um oásis privado onde os hóspedes encontram a oportunidade de relaxar e renovar energias. Decorados de uma forma sóbria e com recurso a materiais nobres, estão virados para o lago, proporcionando através das suas janelas e varandas instantes de sossego.

Ao percorrer o hotel descobrimos uma série de espaços gastronómicos que nos deixam de água na boca. Como não conseguimos resistir logo ali decidimos ficar a conhecer todos. Desde o Medici Café and Terrace com as suas inúmeras saladas, fruta fresca e sanduíches, até ao animado Firenze Lobby Lounge onde as conversas corre ao sabor de bons vinhos, elegantes whiskies e charmosos champanhes, passando pelo Poolside Café and Terrace onde refeições leves possibilitam que se aproveite a piscina ao máximo.

Mas fora do hotel depressa descobrimos que na Village existe um conjunto de restaurantes que oferecem variadas experiências gastronómicas aos turistas, como The Auld Dubliner e o Bernard’s Bistro.

Entre o spa e o golfe

A ordem de acordo a qual se conhecem estes dois espaços é indiferente, pois importante mesmo é conhece-los. Pela nossa parte não resistimos aos apelos do spa, tendo sido a nossa escolha para um início de manhã pontuada pelo sol e as amenas temperaturas. São 24 as salas de tratamento onde são ministradas terapias e massagens os quais podem ser levados para casa com os produtos Vita Sana à venda na loja do spa.

No que ao golfe diz respeito a escolha é também ela variada ou não estivesse o hotel inserido numa das mais prestigiadas regiões dos Estado Unidos dedicadas ao golfe (a publicação Golf Digest deu a medalha d ouro e o USA Today nomeou-a como um dos top 10 destino de golfe do país). São vários os campos onde os visitantes podem experimentar o swing e testar o seu handicap, mas o mais conhecido é sem dúvida The Golf Club at Southshore desenhado por Jack Nicklaus.

Mas a verdade é que entre o spa e o golfe não resistimos aos encantos do lago pelo que fomos investigar tudo o que nele nos era possível fazer. Depressa descobrimos a belíssima marina onde elegantes iates aguardavam a altura para navegar e onde fomos informados que desde passeios de iate ou de canoa, até navegar em barco à vela ou de gôndola, um mundo de actividades é colocada à disposição dos visitantes.

Por Sandra M. Pinto

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nova Kinda de Oeiras tem um corredor infinito e um Design Studio
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira