Portugal tem duas quintas entre as melhores vinhas do mundo

O título foi atribuído pelo júri da World’s Best Vineyards Academy.

Entre a Régua e o Pinhão, a centenária Quinta do Crasto, produtor familiar do Douro, conquistou o quarto lugar no ranking  “50 World’s Best Vineyards”, prémio que distingue as melhores experiências de enoturismo a nível mundial.

Para Tomás Roquette, administrador da Quinta do Crasto, uma propriedade com derca de 130 hectares, dos quais 75 são ocupados por vinhas, esta é “uma importantíssima distinção, não apenas para a Quinta do Crasto e toda a sua equipa, mas sobretudo para o Douro, a única região portuguesa destacada nesta lista”, onde também consta a Quinta do Bomfim (37.º).

Entre as características realçadas pelo júri, estão os programas e actividades que a Quinta do Crasto proporciona aos seus visitantes, nomeadamente as provas de vinho, as visitas guiadas pela adega e vinhas e os almoços ou jantares na sala de jantar da casa principal, que se estendem também ao terraço com vista para as vinhas e rio Douro. Destaca-se ainda pela piscina infinita da propriedade, desenhada pelo arquitecto Souto de Moura, assim como os passeios de barco pelo rio Douro, fruto da parceria com a empresa Pipadouro.

Além de vinhos como o Crasto Branco e Tinto, Crasto Superior, Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas, Monovarietais (Tinta Roriz e Touriga Nacional) e Monovinhas (Vinha da Ponte e Vinha Maria Teresa), bem como categorias especiais de Vinho do Porto (Finest Reserve, LBV, Vintage e Colheita), a Quinta do Crasto dedica-se também à produção de azeites (Premium e Selection).

Conheça a lista completa aqui.

Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
Chevy Suburban: O primeiro carro com uma estrela em Hollywood