Museum of Liverpool

Liverpool viu nascer um museu inédito na Grã-Bretanha com linhas que prometem marcar a zona ribeirinha da cidade.

O primeiro palco que John Lennon e Paul McCartney, fundadores dos Beatles, pisaram juntos está em exposição no National Museum of Liverpool. O museu é o maior, desenhado de raiz, que a Grã-Bretanha conhece no espaço de mais de um século.

A obra, a cargo dos arquitectos do estúdio 3XN, segue linhas geométricas desenhadas em pedra calcária. A estrutura, em aço, pesa mais de 2100 toneladas e tem um papel decisivo nos espaços de exibição do museu: permite que as galerias com 1120 metros quadrados não tenham qualquer coluna.

O museu de Liverpool foi desenhado tendo também em conta as exigências de preservação do meio ambiente. O uso das energias renováveis e de tecnologia inteligente reduzem o impacto ambiental do edifício e a água da chuva é tratada para consumo interno.

Contudo, não é apenas nas suas linhas arquitectónicas que este museu se distingue dos demais. Este é o primeiro museu a tratar um tema regional – a cidade de Liverpool – a pertencer à cadeia de museus nacionais. Basta conhecer a herança histórica, cultural e desportiva da cidade, e o seu impacto no mundo, para perceber esta qualificação inédita na Grã-Bretanha.

Liverpool foi uma cidade decisiva na consolidação do Império Britânico, testemunhou avanços técnicos e invenções pioneiras na Revolução Industrial, sobreviveu a oitenta bombardeamentos na Segunda Guerra Mundial. É a história da cidade e das suas gentes que o museu se propõe a contar aos 750 mil visitantes esperados por ano. Mas não apenas. A cidade vibrante alimenta-se também das suas lendas da música, como os Beatles, e do desporto, como o ciclista Chris Board.

Está lá tudo!

 

 

 

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
O Natal da Meo rima com Apple TV
Automonitor
Novo VW ID. Space Vizzion tem 560 km de autonomia