Macau. Um mundo a descobrir

Está sempre em movimento, repleta de novidades na gastronomia, na hotelaria, nos eventos. Assim é Macau. Destino singular que apresenta um sem-número de atractivos que urge conhecer.

Em 2018 Macau bateu o seu próprio recorde com 35,8 milhões de turistas. Localizada a oeste da foz do rio das Pérolas, a antiga colónia portuguesa, agora uma Região Administrativa Especial da China, está sempre em movimento e em ebulição atraindo cada vez mais turistas que nela descobrem um mundo de coisas por fazer de dia e de noite. Vista como uma ponte entre o Oriente e o Ocidente, Macau apresenta a cada ano renovados motivos de interesse que merecem uma visita e 2019 não é diferente. Desde a hotelaria, passando pela cultura até à gastronomia, são inúmeros os atractivos que trazem um cada vez maior número de pessoas a A-Má-Gao, a divindade protectora dos pescadores e marinheiros. Com o acesso bastante facilitado a partir de outros destinos no Oriente, como China, Tailândia, Vietname ou Filipinas, o território ganhou mais um motivo de interesse com a abertura da nova ponte que liga Hong Kong, Macau e Zhuhai.

HOTELARIA DE EXCELÊNCIA

São muitos e quase todos muito bons os hotéis de Macau. Das duas vezes que tivemos o privilégio de visitar o território, foi de facto este sector que apresentou diferenças mais evidentes. Em cada vez maior número, os hotéis de Macau conseguem manter uma qualidade que em poucos locais do mundo tem concorrência (talvez no Dubai, por onde a Viagens&Resorts andou recentemente). A cada ano, novas unidades abrem portas mostrando um grau de luxo e requinte ainda maior. E isto tem repercussão nos visitantes, senão vejam-se os números que revelam que em finais de Maio existiam em Macau 11 hotéis e resorts da categoria “deluxe” com 5.795 quartos; 26 hotéis e resorts de 5* com 19.178 quartos; 17 hotéis e resorts de 4* totalizando 7.862 quartos e 15 hotéis de 3 estrelas oferecendo 5.326 quartos. Até finais de Abril deste ano, a taxa de ocupação era 91,8%, sendo que a grande concentração de hotéis se encontra na orla marítima da península de Macau virada para a ilha da Taipa, na própria ilha da Taipa e num aterro gigantesco entre as ilhas da Taipa e da Coloane, designado por “Área do Cotai”. Números impressionantes, não lhe parece? A nós também, mas não nos espanta pois, conhecendo a oferta hoteleira de Macau, apenas podemos afirmar que é o resultado justo e merecido de um investimento incrível por parte de players que ali têm apostado algumas das suas melhores fichas.

GASTRONOMIA EM DESTAQUE

Macau é membro das cidades criativas da UNESCO em gastronomia, testemunho perfeito de uma cozinha riquíssima e muito variada. Este novo estatuto de Macau, trouxe uma série de novas oportunidades para promover a cultura gastronómica única de Macau e desenvolver uma indústria de turismo sustentável, numa altura em que a cidade move esforços para se transformar num centro mundial de turismo e lazer. A nova designação adiciona mais uma emblemática marca ao portfólio da cidade, que incluía já o Centro Histórico de Macau, inscrito como Património Mundial da UNESCO em 2005. De facto, a gastronomia é um dos novos motores do turismo no território. Seja nas ruas do centro histórico ou nos restaurantes com estrelas Michelin, a comida está no foco de milhares de visitantes. Todos sabem já que ali vão encontrar todo o tipo de comida, originária dos quatro cantos do mundo, sendo que desde a culinária local, classificada pelos especialistas como uma das primeiras cozinhas de fusão do mundo, até à gastronomia chinesa, passando por todo um leque diversificado de culinárias internacionais, Macau é mesmo um dos destinos gastronómicos mais singulares da Ásia. Ao fazer uso de ingredientes e temperos provenientes da Europa, de África e do Sudeste Asiático, a cozinha macaense apresenta-se como uma combinação entre a gastronomia portuguesa e chinesa. Fusão de sabores e técnicas de confecção, esta irresistível cozinha tem na Galinha à Africana, nos Camarões Picantes à Macaense e no Minchi, alguns dos seus pratos mais famosos. Além desta, uma das gastronomias mais apreciadas pelos visitantes e uma das mais famosas em toda a China, é a oriunda de Guangzhou (o antigo Cantão), a mais próxima e típica em Macau em termos de comida chinesa. Há inclusive um provérbio chinês que diz que um homem “deveria casar em Suzhou, viver em Hangzhou, comer em Guangzhou e morrer em Liuzhou”, por estas cidades terem, respectivamente, as raparigas mais bonitas, as vistas mais atractivas, a melhor comida e a melhor madeira para o caixão. De facto, ninguém resiste aos Dim Sums acompanhados pelo chá de jasmim. Do interior da China, surgem iguarias como o Pato à Pequim a pontuar como o prato mais conhecido da região de Pequim, enquanto os “dumplings” cozinhados ao vapor com recheio de carne de porco picada, os “wontons” e os caranguejos com pêlo de água doce, são bastante apreciados na região de Xangai.

Por Sandra M. Pinto

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Filtro 3D permite experimentar maquilhagem Dior
Automonitor
Elétricos: Galp vai inaugurar primeiro ponto de carregamento em São Miguel