Istambul: Acima de tudo contemporânea

Istambul é um espaço de cultura, arquitectura e arte de portas abertas para o mundo

À pergunta de sempre, mais europeia ou asiática, Istambul responde com uma única palavra: contemporânea. Capital Europeia da Cultura 2010, Istambul já não questiona a sua identidade, pois a cidade encontrou o seu espaço entre os dois universos que lhes moldaram o espírito e a história. Hoje é espaço de cultura, arquitectura e arte de portas abertas para o mundo.

Por Sandra M. Pinto

Já respondeu pelos nomes de Bizâncio e de Constantinopla. Já acolheu impérios e tesouros, glórias e desavenças. Hoje mantém a aura de uma vida sumptuosa, continuando a espantar o mundo com a belíssima excentricidade que a povoa. Assim é Istambul, metrópole e atracção turística, possuidora de uma vastíssima oferta em temas relacionados com a cultura, a religião e a história. Classificada como a maior e mais importante cidade turca, chegando mesmo a ultrapassar Ankara (capital administrativa do país), a cidade é mais do que os abastados palácios, as imponentes mesquitas e as enormes cúpulas que servem de base à sua divulgação turística. Há ainda a Istambul das ruelas estreitas, das cores garridas, dos cheiros, dos sabores. E depois há a Istambul moderna, aquela que aspira a uma contemporaneidade que lhe trará outro género de turistas, aqueles que procuram aprender, ver e absorver o que ela tem para ensinar.

Deambulando de mapa na mão…

… rapidamente concluímos que se queremos conhecer os spots turísticos mais conhecidos temos que nos dirigir para o lado europeu, divisória realizada por um braço de mar chamado Corno de Ouro. É ali que nos vamos deslumbrar com, por exemplo, o bairro de Sultanhamet onde, na sua praça principal, damos de caras com a Mesquita Azul e a Hagia Sofia. Enquanto a primeira foi mandada construir pelo sultão Ahmet I e ganhou o nome por causa dos azulejos azuis que lhe cobrem o interior, a segunda é uma homenagem a Santa Sofia, tendo sido edificada no século VI.

Impossível não visitar o Palácio Topkapi, morada de Mehmet II no século XV e onde se encontram impressionantes tesouros; e o Museu de Arqueologia, dedicado ao pré-classicismo, ambos situados no promontório onde o Bósforo e o Mármara se tocam. Comerciantes por natureza, os turcos são mestres na arte de negociar…tudo! Isso mesmo qualquer turista pode ter ocasião de ver (e viver na primeira pessoa) no Bairro do Bazar, morada do super famoso Grande Bazar e da Ponte Gálata. O colorido impressiona, sem dúvida, mas é o cheiro que se entranha, e por muito que tentemos decifrar os seus diferentes aromas, é impossível! Aconselhamos a que treine a sua arte de regatear, pois não há melhores negociantes do que os turcos que antes mesmo de fazer um bom negócio adoram regatear os preços! Deambule pelos labirintos (sempre com pontos de referência para não se perder), e encanta-se com os tapetes, as jóias, a loiças, os cobres e os têxteis, entre tantos outros objectos.

Depois de um obrigatório cruzeiro no Bósforo, durante o qual se analisa o que o lado asiático tem para mostrar, ao chegar lá descobrimos que esta é outra Istambul, composta por enormes subúrbios que datam do século VII a.C., como Uskudar ou Scutari, onde cresceu o arménio Calouste Gulbenkian.

Istambul na internet: www.tourismturkey.org

Embaixada da Turquia em Lisboa: www.embaixadaturquia.pt

Aeroporto: Internacional Ataturk Yesilkoy (23 km)

Como circular: Tem bons sistemas de metro, comboios, eléctricos e autocarros, embora os táxis também sejam uma boa opção.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Marcas sem marca ganham força em 2020
Automonitor
Elétricos: Galp vai inaugurar primeiro ponto de carregamento em São Miguel