Depois do Brexit, Algarve acerta estratégias

A direcção da Região de Turismo do Algarve (RTA) reuniu com os principais parceiros do sector Turístico na região para, em conjunto, analisarem os desafios que se colocam ao Algarve com a saída do Reino Unido da União Europeia.

O Reino Unido é o principal mercado turístico de Portugal, representando 8,3 milhões de dormidas anuais em alojamento classificado, e o Algarve é o principal destino dos turistas britânicos no país, registando cerca de 70 por cento dessas dormidas, pelo que importa manter a confiança do destino na capacidade de os seus agentes continuarem a granjear a preferência dos turistas britânicos.

Por outro lado, as receitas geradas pelos turistas do Reino Unido na região (1500 milhões de euros de um total nacional de cerca de 2000 milhões) representam um contributo significativo para o saldo da balança comercial de bens e serviços.

Ouvidos os parceiros – Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), Associação Turismo do Algarve (ATA), Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve (AIHSA), Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor (ARAC), Associação de Empresas de Animação Turística do Algarve (Algarve Anima), Aeroporto Internacional de Faro, Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA), Confederação dos Empresários do Algarve (CEAL) e Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP)  –, conclui-se que o resultado do desempenho turístico do Algarve no primeiro semestre do ano é francamente positivo. Quer no actual momento da operação turística, quer na fase de renegociação de contratos e perspectivas de futuro, não se registam quebras na procura.

Não obstante, é unânime o entendimento de que deverá diligenciar-se uma actuação conjunta, com medidas que visem enfrentar e responder a eventuais impactos futuros do “Brexit”, tornando-se primordial:

–         Reforçar a promoção do destino Algarve no mercado britânico, de forma a manter e consolidar a procura dos turistas oriundos do Reino Unido;

–         Prosseguir a estratégia de diversificação dos mercados emissores, de modo a melhorar a complementaridade na procura da região;

–         Intensificar as relações bilaterais com a comunidade britânica residente no Algarve, com vista a reforçar a relação de confiança que é uma realidade desde que existe turismo no Algarve.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
O Natal da Meo rima com Apple TV
Automonitor
Novo VW ID. Space Vizzion tem 560 km de autonomia