CRUZEIROS CELESTIAIS é a proposta do Celestyal Crystal

Egeu e o Mediterrâneo, mitológicos e divinos com um céu sempre azul como limite. É esta a sensação predominante a bordo de uma das embarcações sofisticadas e acolhedoras dos Celestyal Cruises. Escolha o seu itinerário, suba a bordo, deixe as preocupações em terra. Vai fazer uma das viagens da sua vida.

POR MARCO C. PEREIRA

O famoso porto de Piraeus, às portas de Atenas, foi o nosso ponto de partida, se bem que apenas uma de várias possibilidades para o início da jornada. Embarcamos às seis da tarde, com tempo para nos ambientarmos à nova morada e de vermos o sol assentar para oeste da cidade, a partir do derradeiro piso do convés.

O Celestyal Crystal, o navio que nos acolheu, zarpou rumo a Sul às nove da noite. Por volta das sete da manhã, estávamos a atracar em Míconos, a primeira das ilhas gregas mágicas e míticas, mas reais no itinerário. Pouco depois, já numa embarcação secundária, a pisar o solo de Delos numa incursão deslumbrante à era clássica grega. É uma das experiências inesquecíveis que os Celestyal Cruises proporcionam aos passageiros. Entre tantas outras.

VIAGEM DE SONHO

Os Celestyal Cruises conquistaram forte notoriedade pelas viagens que levam a cabo a bordo das suas duas principais embarcações de dimensão média, o Celestyal Crystal, com 162 metros de comprimento, e o Celestyal Olympia com 214.88.

O Celestyal Crystal, aquele que nos teve a bordo, pode navegar com 1200 passageiros em 480 cabines, 53 das quais com terraço privado. Já o Celestyal Olympia está preparado para receber quase 1700 viajantes instalados em 724 cabines, nove delas com terraço privado. Ambos os navios são climatizados e contam com Wi Fi a bordo. No Crystal encontramos tudo o que é expectável num navio maior, só que numa escala bastante mais acolhedora e personalizada. Existem 12 tipos de cabines distintas: desde a Imperial Suite, situada no deck 6 e com 44 m2, preparada para acomodar quatro pessoas com as camas de solo, sofá e uma varanda privada, até à mais acessível de todas, a Standard Inside Stateroom, localizadas nos decks 3, 4 e 5, com apenas 12 m2 e preparada para acomodar duas ou quatro pessoas.

Os Celestyal Cruises conquistaram diversos prémios, incluindo o “Best Value Cruise Line” de 2016 do Cruise Critic UK. De facto, a Celestyal é a principal linha grega de cruzeiros. A operar em casa e nas imediações, a Celestyal conhece os seus mares, portos e atracções como nenhuma outra. Além disso, tem acesso privilegiado a portos em ilhas gregas menos visitadas por outros cruzeiros e pelos turistas em geral e que, por isso, se acabam por revelar experiências bastante mais personalizadas e autênticas.

Não foi o caso de Míconos, há muito inundada de turistas oriundos dos quatro cantos do mundo encantados pela sua beleza branca e azul, mas foi o de Milo, a ilha em que – como parte de uma das fabulosas excursões possíveis – ancorámos em seguida, a meio do terceiro dos oito dias de navegação. Milos é a derradeira das Ciclades, esta é a fascinante ilha onde foi encontrada a famosa estátua de Vénus há muito em exibição no Museu do Louvre. Dona de cenários litorâneos pitorescos ou grandiosos que vão da base da margem mais próxima a fortalezas e igrejas localizadas nas suas alturas ventosas tem no labirinto costeiro, repleto de rochedos brancos em que se esconde a praia excêntrica de Sarakiniko, um dos seus mais famosos e reconhecidos ex-líbris.

Durante as rotas de três a sete noites, os cruzeiros Celestyal prendem os passageiros com o máximo de tempo de exploração possível em cada um dos destinos. Como complemento, a navegação concede-lhes várias outras formas de relaxamento e evasão, uma vez que os navios possuem spa’s, cabeleireiro e ginásio. Mas além destas comodidades, estão equipados para outros desportos e actividades, como ténis de mesa, dardos e até aulas de zumba e de línguas, bingo e bridge, sessões interactivas de artesanato, entre outros.

No que diz respeito aos bares e restaurantes, destacam-se, no Celestyal Crystal, o Leda, no deck 9, e o café à beira da piscina. O restaurante principal, Amalthia fica no deck 8 e há ainda o Olympus, no deck 5. Todos servem pequeno-almoço buffet e refeições sem marcação. O Leda e o café da piscina também têm os seus próprios buffets ao almoço e ao jantar. O almoço, em especial, pode ser servido à beira da piscina. Os passageiros podem ainda pedir as suas escolhas do menu de almoço ou jantar do Amalthia. As refeições a bordo são variadas, os jantares, em particular, incluem pratos gregos ou mediterrâneos, como queijo frito com mel, moussaka, peixe e saladas gregas.

Depois de Milos, segue-se Santorini, sem qualquer dúvida a ilha grega mais exuberante e procurada pelos forasteiros, e também aquela em que nos foi concedido mais tempo para descobrir as suas muitas maravilhas e explorar os principais recantos do cimo e dos fundos da enorme caldeira parcial do vulcão que alterou para todo o sempre a história do Egeu. Oia, a mais fotogénica das povoações dependuradas das falésias, a capital Fira (Thera), as ruínas de Akrotiri e o âmago activo e dramático de Nea Kameni, receberam a nossa máxima atenção durante uma deliciosa manhã.

De Santorini, o Celestyal Crystal zarpou para Creta, a ilha do Minotauro em que permanece o tempo suficiente para que os passageiros possam visitar, no mínimo, a “capital” Heraklion e o Palácio de Knossos. Ao fim do dia, rumou a Kusadasi, na Turquia, para na sétima noite, regressar a Atenas.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...