Courchevel cinco vilas, uma só estância

Localizada no circuito dos “Trois Vallés”, Courchevel faz parte do maior domínio esquiável do mundo. Verdadeiro paraíso para esquiadores e amantes dos desportos de neve, com os anos deixou o ar rústico de outrora para se apresentar hoje plena de luxo e o requinte.

Domínio de duques, a Alta Sabóia, em França, sempre foi casa de pastores corajosos e intrépidos. Um povo habituado à dureza da vida nas montanhas, conhecedor dos rigores do Inverno alpino e dos seus muitos perigos. Com o passar dos anos o pastoreio revelou-se incapaz de conseguir manter as populações nos Alpes. O êxodo populacional foi inevitável. Alguns, contudo, ficaram e foi de entre eles que saíram os pioneiros de uma nova página da história dos Alpes.

O nascer da lenda

No ano de 1926 o presidente da Câmara de St. Bon de Courchevel, Louis Curtet, toma a decisão de abrir um hotel, o Lac Bleu, que ainda hoje funciona. A iniciativa, invulgar para a região revelou-se extremamente bem sucedida e o constante aumento do número de admiradores da paisagem alpina fez com que percebesse que este tinha sido apenas o início, que podia ir mais longe.

Há muito praticado pelos locais, tanto como forma de locomoção, como meio de entretenimento, o esqui fazia parte do dia-a-dia dos habitantes. De entre eles alguns verdadeiros peritos, rapidamente convertidos em instrutores. O primeiro foi Jean Pachod. Na década de quarenta, o turismo torna-se a chave da economia local. Em 1946, Jean Blanc cria a primeira estação do vale de Courchevel, situado a 626 km de Paris e a 140 de Genebra. St. Agathe fica nas encostas de Moriond e, mais tarde, será conhecida como Courchevel 1650. Na época os cépticos em relação a esta iniciativa audaciosa são muitos e, como tal, os apoios financeiros difíceis de obter. Mas o grande passo estava dado e já não havia forma de voltar atrás.

Sob as ordens dos arquitectos Maurice Michaud e Laurent Chappis, começam a ser construídas as primeiras infraestruturas e os primeiros acessos vindos de Praz. As duas primeiras estações são os teleskis de Tovets e de La Laze. A criação destas duas vilas gera uma polémica acerca das designações pelo que para sempre ficaram conhecidas como Courchevel e só a altitude distinguirá as diferentes estações. Ao mesmo tempo que as estâncias eram criadas, também o domínio esquiável aumenta e, na década de 50, a telecabine de Saulire une Courchevel a Méribel. O investimento continua, e em 1961, é construído o primeiro “altiporto” internacional facilitando, desta forma, o acesso à estação. Nos anos seguintes, o investimento em infraestruturas cresce, pelo que a construção, em 1972, do complexo de La Croissette mesmo no coração da estância, vem culminar 25 anos de esforços para criar uma das melhores e mais completas estâncias de esqui do mundo, até hoje!

O melhor esqui

Courchevel é composta por quatro vilas: Couchevel 1300 ou La Praz, Courchevel 1550, Courchevel 1650 e Courchevel 1850. Como se não chegasse, foi criado um dinâmico sistema de teleféricos que une esta estância às outras estações – Méribel, Mottaret, Les Menuires e Val Thorens – com as quais forma o maior e mais variado domínio esquiável do mundo, os “Trois Vallés”. Ao todo são 600 km de pistas, de todos os níveis, duzentos “ski-lifts” e mil e duzentos monitores de esqui e snowboard, ao dispor do esquiador principiante ou experimentado.

Cada estância que integra o domínio tem características específicas de excelência, fazendo de Courchevel um destino difícil de igualar. O facto de ter sido construída de raíz e da sua localização ter sido cuidadosamente estudada, dá-lhe enormes vantagens em todos os aspectos. Em primeiros lugar, e de suma importância para os amantes do esqui, está a qualidade da sua neve, a duração da sua temporada, o completo sistema de transportes para as pistas e a enorme variedade de modalidades desportivas que aí se pode praticar.

Um mundo de opções

Desde o esqui tradicional até ao moderníssimo skwal – modalidade inventada por um instrutor de esqui de Courchevel 1550 e que se situa algures entre o mono-esqui e o snowboard -, do snowboard ao heli-esqui – modalidade em que o esquiador é transportado de helicóptero para zonas distantes e de outro modo inacessíveis e, daí, salta para a montanha iniciando um emocionante percurso por neves fofas e quase virgens -, dos saltos de esqui ao esqui Telemark – modalidade inventada no século passado por um esquiador norueguês mas que, só agora, se tornou popular nas pistas francesas -, sem esquecer o esqui fora-de-pistas, as escaladas no gelo, os passeios em snowshoes através das montanhas, as caminhadas e os passeios de trenó de dia ou à luz da Lua, tudo é possível e encontra o seu espaço neste vasto domínio coberto de branco.

Os esquiadores mais experimentados, vão deliciar-se com as condições excepcionais oferecidas por Courchevel mas, se não o for, não se deixe intimidar. Aqui encontram-se instaladas algumas das melhores escolas de esqui do mundo, que concentram um centenas de monitores especializados e altamente qualificados em toda e qualquer modalidade que lhe possa interessar. Mas, como se não bastasse a riqueza do seu património esquiável, a charmosa e requintada Courchevel 1850 tem muito mais para oferecer a quem a visita.

O requinte do aprés-ski

Destino privilegiado para fazer férias de Inverno, a estância oferece inúmeras opções para além das pistas. Em Courchevel o aprés-ski dá continuidade à diversão de um intenso dia passado nas encostas nevadas. A chegada do fim do dia significa que depois das pistas outra aventura vai começar, seja com uma paragem no Le Chocolathé, na Rue Park-City ou no Le Saint-Honoré, no requintado Espace Diamant, ambos em Courchevel 1850, para tomar um chocolate quente ou um chá. Depois, o visitante pode dar asas ao “vício” das compras no elegante Espace Diamant, onde se pode encontram “griffes” de reconhecido prestígio internacional como Issey Miyake, Gaultier, Ralph Lauren, Dior, Fendi, Escada Sport, Thierry Mugler, Hugo Boss, Armani, entre muitas outras. Algo comum em estâncias de luxo, também em Courchevel estão representados os melhores relojoeiros e joalheiros. Cartier, Vacheron Constantin, Bulgari, Hermès, Chopard, Jaeger LeCoultre, Rolex, Audemars Piguet, Boucheron ou Chaumet são algumas das marcas representadas.

Entre hotéis de sonho e alta gastronomia

Mas Courchevel 1850 tem outras preciosidades para oferecer, como unidades hoteleiras de qualidade extraordinária. Nas encostas das montanhas de Courchevel, com acesso directo às pistas, encontram-se alguns dos melhores hotéis de altitude do mundo e spas onde o relaxamento depois de um dia nas piasta é ponto de honra.

A completar este ambiente estão os prazeres gastronómicos, afinal estamos em França. O país dos grandes chef’s, da nouvelle cuisine, onde a conquista de uma boa classificação no famoso guia Michelin é objectivo se suma importância, pelo seu prestígio e raridade. Mais uma vez também aqui Courchevel excede-se ao apresentar restaurantes fora de série cujas propostas se passeiam entre o requinte da cozinha criativa e o paladar forte da cozinha tradicional dos Alpes.

Assim é Courchevel, desportista e chique, requintada e luxuosa, um mundo de glamour que apela a uma visita.

 

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
Marcas deverão despedir 80 mil pessoas nos próximos anos