Boston: História feita de cultura

Viaje até aos EUA e visite uma cidade acolhedora

Capital do Estado norte-americano de Massachusetts, Boston é reconhecida pela sua importância financeira, comercial e universitária.

Fundada pelos ingleses no século XVII, foi palco da famosa revolta Boston Tea Party, que deu início ao processo de independência dos EUA. Desse tempo ficou-lhe não só o gosto pela mudança, como a sensibilidade para receber bem quem a procura. Esta é, na realidade, uma cidade acolhedora.

Ao olharmos para o mapa dos Estados Unidos da América descobrimos Boston no condado de Suffolk, do qual é sede. Habitada por cerca de 5,8 milhões de pessoas, Boston é não só a capital como a maior metrópole do estado de Massachusetts.

Conhecida como uma cidade global, possui uma faceta financeira e comercial muito vincada, à qual se junta a enorme importância académica. É esta última a responsável em grande parte pela atmosfera jovem que se vive na cidade onde residem milhares de estudantes oriundos não só dos EUA mas um pouco de todo o mundo.

Testemunhos da história

É com inegável orgulho que Boston fala do seu passado e da sua história, a qual podemos acompanhar ao visitarmos os inúmeros testemunhos que dela ficaram. Ali a história não se limita às quatros paredes de um museu, ali a história está um pouco por todo o lado, em particular ao longo do Freedom Trail, trajecto pleno de simbolismo pois reproduz a evolução da Boston colonial e a sua luta pela liberdade e independência.

Moderna e com um ar muito europeu, é a morada de mais de 100 faculdades e universidades, sendo as mais conhecidas a Universidade de Harvard e o MIT, Massachusetts Institute of Technology. Tal facto atribui-lhe uma vivência muito particular e jovem.

Hoje Boston é uma cidade verdadeiramente charmosa e cativante que oferece aos habitantes e visitantes uma variedade de actividades culturais dignas de referência. No que ao universo da arte diz respeito a cidade possui importantes colecções, em particular as dos Museum of Fine Arts e do Isabella Stewart Gardner Museum. Mas o cenário artístico da cidade não ficaria completo sem uma referência quase obrigatória à Boston Symphony Orchestra e ao Boston Ballet.

Antes de prosseguirmos na descoberta da Boston moderna e actual, voltemos um pouco atrás com o intuito de desvendar um pouco mais sobre o Freedom Trail. este é o nome dado ao caminho de tijolos vermelhos que leva os turistas até à New State House, ao cemitério datado de 1660 e à Old State House, espaço onde foi lida pela primeira vez, em 1776, a declaração de Independência. Mas para se ficar a conhecer um pouco mais o passado da cidade, faça como nós e visite o bairro de North End onde se encontra a casa do revolucionário Paul Revere datada de 1630, assista à tradicional cerimónia diária dos tiros de canhão pelo USS Constitution (a mais antiga fragata do mundo), perca-se pelas ruas empedradas do bairro de Beacon Hill ou admire as casas de arquitectura vitoriana do bairro de Back Bay.

No cenário de “A Cidade”

Boston encheu recentemente os ecrãs dos cinemas de todo mundo ao servir de cenário do filme “A Cidade”, realizado e protagonizado por Ben Affleck. Ao contrário do filme, Boston é uma cidade pacata e calma que recebe os forasteiros com muita simpatia e disponibilidade. Na realidade é um excelente destino para se visitar em família, pois os mais pequenos vão adorar descobrir as maravilhas que se escondem no Museum of Science e perder-se de encanto pelas muitas espécies de peixes que habitam o New England Aquarium.

Mas o que em Boston quase parece retirado de um filme dá pelo nome de Central Artery/Tunnel Project. Também conhecido como Big Dig, foi a maior e mais cara obra pública na história dos EUA, tendo sido considerado pelos especialistas como um dos mais complexos projectos de engenharia civil do mundo. O Big Dig tinha como objectivo último o melhoramento e ampliação do complexo rodoviário da cidade de Boston, considerado um dos mais congestionados da América, através da substituição da auto-estrada Central Artery, de seis faixas, por um conjunto de auto-estradas subterrâneas com oito a 10 faixas de rodagem. Em complemento foram também construídas duas pontes sobre o rio Charles e ampliada a auto-estrada I-90 até ao Logan International Airport. Tudo isto possibilitou uma diminuição da poluição ambiental que caracterizava a cidade, uma maior fluidez do tráfego rodoviário numa das zonas mais concorridas dos EUA e o aparecimento de inúmeros espaços verdes. O Big Dig fez com que Boston se reencontrasse com a zona ribeirinha e fizesse as pazes com os tempos modernos. Esta é uma cidade que de forma inteligente cresceu sem perder a alma ou sequer o rumo.

Onde dormir?

Four Seasons Hotel Boston – Elegante e despretensioso é um dos melhores hotéis de Boston. É dono de uma incrível localização, bem perto do jardim de Beacon Hill.

Ritz-Carlton Boston Common – Clássico, esta é uma unidade de referência na cidade. Quase podíamos afirmar que neste hotel sobrevive a Boston de outros tempos.

XV Beacon – Verdadeira obra de arte, este hotel é algo de único. Acolhe obras de arte de artistas famosos e cada um dos seus quartos está decorado de uma forma diferente.

Onde comer?

Union Oyster House – Considerado como o restaurante mais antigo dos Estados Unidos, é um dos melhores locais para experimentar a famosa lagosta. Cozinhada de uma forma mais tradicional, grelhada ou frita, basta escolher e apreciar.

Legal’s Seafoods – Além da excelente gastronomia é conhecido por ser dono de uma adega com mais de 11 mil néctares oriundos de todo o mundo.

Jumbo Seafood – Faz parte do roteiro gastronómico de qualquer turista que se preze. Fica na Chinatown e tem no prato Jumbo Shrimp (camarão preparado no vapor com vinho e alho fresco) a sua mais conhecida sugestão.

Kingfish Hall – Propriedade do famoso chef Todd English, apresenta um menu composto por sugestões da tradicional cozinha da Nova Inglaterra e outras de inspiração asiática.

Por Sandra M. Pinto

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Marcas sem marca ganham força em 2020
Automonitor
Elétricos: Galp vai inaugurar primeiro ponto de carregamento em São Miguel