Entre a cultura e o lazer, Belém do Pará merece uma visita

Com 400 anos de história, Belém está hoje classificada como uma das capitais com melhor qualidade de vida do Norte do Brasil.

Apesar de surgir em diversos aspectos como uma urbe moderna e cosmopolita, a verdade é que Belém preserva ainda um ar muito tradicional. Capelas e igrejas da época colonial, casarões enormes com fachadas bem preservadas, de tudo um pouco se compõe a arquitectura da cidade, sendo que, pelo facto de muitas dessas construções terem sido da autoria de famílias europeias, a cidade ganhou no início do século XX o apelido de “a Paris da América”.

Mas, no decurso do século XVIII, antes de tanta elegância e exuberância, o espaço onde hoje se encontra Belém era ocupado pelos índios xucurus, sendo que o princípio do município remonta à época da conquista da foz do rio Amazonas por forças luso-espanholas (dinastia dos Filipe) sob o comando do capitão Francisco Caldeira Castelo Branco, que no dia 12 de Janeiro de 1616 ali fundou o Forte do Presépio.

Antes de ganhar o nome de Belém, e sob ele se tornar na primeira capital da Amazónia, a então povoação foi apelidada, sucessivamente, de Feliz Lusitânia, Santa Maria do Grão Pará e Santa Maria de Belém do Grão Pará. Com uma economia baseada na agricultura, na pecuária e na pesca, a cidade foi crescendo e ganhando importância na região. Curiosamente, e devido ao facto de se encontrar geograficamente tão distante dos centros de decisão, Belém só reconheceu a Independência do Brasil relativamente a Portugal a 15 de Agosto de 1823, quase um ano após a sua proclamação!

Cidade em crescimento

Ao contrário de muitas cidades nordestinas, Belém assistiu a um forte crescimento urbano, sobretudo durante aquela que ficaria conhecida como a época da borracha. Dona de uma localização bastante apetecida, junto ao litoral, a ela começaram a chegar cada vez mais seringalistas, casas bancárias e outras importantes instituições, que ali abriam sucursais e imponentes residências. Belém surgia, assim, como uma das mais desenvolvidas e prósperas cidades brasileiras. Entre 1890 e 1920, a cidade viveu a sua época dourada, muito devido ao facto de ser possuidora de tecnologias desconhecidas pela maior parte das outras cidades brasileiras, como as do sul do território. É então que começam a chegar a Belém impressionantes levas de emigrantes estrangeiros que, com o objectivo de trabalhar na agricultura, viriam a moldar o crescimento populacional da cidade e seus arredores. De entre os que chegavam destacavam-se os portugueses, os chineses, os franceses, os japoneses e os espanhóis, o que deu trouxe à cidade um verdadeiro melting-pot cultural. Surgia nessa altura a figura do caboclo, resultado da miscigenação entre brancos e índios, além de ter início a época do comércio dos escravos trazidos de África.

Uma das grandes modificações trazidas à vida da cidade com a chegada dos emigrantes e dos escravos deu-se ao nível da religião. Apesar de uma grande percentagem da população ser e se manter católica, surgiram muitos seguidores de outras fés, como o espiritismo, o protestantismo, o islamismo, o judaísmo (a primeira sinagoga do Brasil independente foi construída em Belém), além das religiões afro-brasileiras trazidas pelos escravos.

A Belém actual

Actualmente, a economia da cidade baseia-se sobretudo no comércio, nos serviços e no turismo, apesar de ali existir igualmente uma desenvolvida actividade industrial, com inúmeras indústrias alimentícias, navais, metalúrgicas, pesqueiras, químicas e madeireiras. Bastante dinâmica, é na região conhecida como a grande Belém que se concentram grande parte das indústrias e dos serviços, pelo que é reconhecido como o segundo maior parque industrial da Amazónia. Determinante na evolução e crescimento, é o facto de Belém possuir os portos brasileiros mais próximos da Europa e dos Estados Unidos da América, nomeadamente os de Belém, Miramar e Outeiro, sendo que o primeiro deles é hoje o maior e mais movimentado porto de contentores da região da Amazónia.

Curiosamente, um dos mercados hoje mais incentivado e explorado na cidade é o da moda, sendo que todos os anos são ali realizados dois importantes eventos: o Belém Fashion Days, acontecimento que está entre cinco maiores eventos de moda do Brasil, e o Amazónia Fashion Week, considerado o maior evento de moda da região da Amazónia.

Rica em construções históricas, a cidade é dona de uma veia cultural muito forte. Belém possui uma natureza exuberante, pelo que pelo meio das construções do Homem podemos observar exemplares de uma luxuriante vegetação. Tendo vindo a despontar nos últimos anos como um desejado roteiro turístico desta região do Brasil, Belém é cada vez mais procurada por turistas oriundos um pouco de todo o mundo, o que faz dela uma cidade bastante apetecível no que diz respeito a investimentos turísticos. Hoje surge movimentada e sempre repleta de gente, que calcorreia as suas ruas e ruelas em busca de história, aquela história que serve de base ao que o Brasil é actualmente. Oferecendo aos visitantes muitos e variados pontos de interesse, a cidade passeia-se majestosa entre a cultura e o lazer, o que a torna numa das mais cativantes de todo o Brasil.

A conhecer

Teatro da Paz

Considerado um dos mais belos teatros do Brasil, este monumento construído em 1878 é dono de uma beleza extremamente imponente. Inspirado no Teatro Scala de Milão, apresenta uma arquitectura em tudo europeia, com ricos detalhes e pormenores.

Cinema Olympia

O mais antigo cinema do Brasil em funcionamento, considerado um dos mais luxuosos e modernos da época. Foi inaugurado no dia 21 de Abril de 1912,no auge da fama do cinema mudo.

Mangal das Garças

Resultado de um processo de revitalização de uma área de 40 mil metros quadrados no redor do Arsenal da Marinha, o magal das Garças situa-se em pleno centro histórico, nas margens do rio Guamá.

Orla de Icoaraci

Localizado no distrito homónimo, a 20 km do centro de Belém, nesta zona concentram-se um sem-número de bares e restaurantes, áreas de lazer e feiras de artesanato, com destaque para as peças em cerâmica.

Palácio Antônio Lemos

Impressionante construção, acolhe hoje a sede da câmara municipal de Belém.

Palácio Lauro Sodré

Importante exemplar arquitectónico da cidade, acolhe no seu interior desde 1994 a sede do Museu do Estado do Pará.

Parque da Residência

Antiga residência oficial dos governadores do estado do Pará, hoje é a sede da Secretaria Executiva de Cultura do estado.

Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi

Situado no centro urbano de Belém, ocupando uma área de 5,2 hectares, é o mais antigo parque do género em todo o Brasil. Fundado no dia 6 de Outubro de 1866, é a mais antiga instituição de pesquisas natural da região.

Planetário Sebastião Sodré da Gama

Foi o primeiro planetário a abrir no norte do Brasil, estando classificado como um dos mais modernos do país.

Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré

Esta é a única basílica da Amazónia brasileira, pelo que a sua história, o seu simbolismo e a sua importância religiosa têm vindo a exercer uma profunda influência no imaginário religioso dos habitantes da cidade e do estado do Pará. A 31 de Maio de 2006, foi-lhe atribuída a categoria de Santuário Mariano Arquidiocesano, ganhando a actual designação de Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré.

Estádio Olímpico do Pará

Inaugurado em 1978 e restaurado em 2002, apresenta capacidade para receber 50 mil pessoas.

Centro de Convenções e Feiras da Amazónia

São 64 mil metros quadrados de área total, onde se incluem 25 mil metros quadrados de área construída perfeitamente integrada no ambiente natural envolvente, que constituem o Centro de Convenções e Feiras da Amazónia, ou, como é normalmente apelidado, o Hangar. Equipado com as mais modernas tecnologias, o espaço está preparado para receber todo o género de eventos, sendo que por lá se realizam regularmente feiras, congressos, convenções, seminários, simpósios e exposições.

Complexo Feliz Lusitânia

Apelidado com o primeiro nome pelo qual a cidade foi baptizada, este complexo situa-se no bairro da Cidade Velha, integrando o revitalizado centro histórico de Belém. Integram-no a Catedral Metropolitana de Belém, a Praça Dom Frei Caetano, a Casa das Onze Janelas, a Corveta Museu Solimões, o Forte do Presépio e o complexo de Santo Alexandre, onde vamos encontrar Igreja e o Museu de Arte Sacra do Pará, inegavelmente um dos mais belos de todo o Brasil.

Complexo Ver-o-Peso

Área de Belém onde os visitantes podem encontrar a Feira do Açaí, as praças do Relógio, onde se encontra um belíssimo relógio oriundo de Inglaterra, do Pescador e dos Velames, o Solar da Beira e o Mercado Municipal. A zona fica completa com o Mercado de Ferro, transportado integralmente do Reino Unido e eleito hoje uma das Sete Maravilhas do Brasil.

Complexo Ver-o-Rio

Projecto que alia a contemplação da natureza com a boa utilização do espaço urbano, está instalado numa área de cinco mil metros quadrados de frente para a baía do Guajará.

Estação das Docas

Conhecido pelos locais como A Estação, é um complexo de arte, lazer e gastronomia onde se encontra o Amazon River, um moderno terminal fluvial com ancoradouro flutuante. Dali saem todos os dias inúmeros passeios fluviais que percorrem não só a orla costeira, mas também as ilhas de Belém.

Espaço São José Liberto61

Antigo estabelecimento prisional da cidade, o ano de 2002 acolheu o Espaço São José Liberto61, onde se encontram o Museu de Gemas do Pará, o Pólo Joalheiro, a Casa do Artesão e uma capela. Actualmente é o espaço de referência para o mercado joalheiro do estado devido, sobretudo, às peças em ouro e gemas realizadas por talentosos ourives e designers da região.

Por Sandra M. Pinto

 

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Spotify reinventa (com humor) clássicos da música
Automonitor
Club MX-5 Portugal numa aventura pelos Vinhos do Alentejo