As melhores praias para pessoas que não gostam de areia

Pode parecer surpreendente para alguns, mas estar todo o dia deitado na areia a trabalhar o bronze não constitui a ideia de umas férias perfeitas para toda a gente.
Com os mais tímidos na hora da praia em mente, compusemos uma lista das melhores praias para explorar além da areia e do surf.

Tulum, México

Tulum, na Riviera Maia, tem vindo a crescer em tamanho e em estilo nas últimas décadas, mas consegue manter o charme boémio que atraiu hippies de todo o mundo a esta vila outrora adormecida.

Há tanto para te manter ocupado neste pedaço da Península Yucatan que não vais ter de estender a toalha de todo. No topo da lista está uma exploração profunda das ruínas pré-colombianas empoleiradas dramaticamente em cima das falésias de 12 metros de altura à beira do mar das Caraíbas.

Quando acabares de mergulhar numa das últimas cidades construídas e habitadas pelos Maias, há retiros de ioga, mergulho nas grutas, cozinha vegan de fusão mexicana e compras, muitas compras – e tanto mescal quanto possas querer para conseguires acompanhar o passo dos centro-americanos.

Sharm El-Sheik, Egipto

Para aqueles para quem as margens parecem ter um pouco de pé a mais, porque não procurar as profundezas escondidas no Mar Vermelho? Fazer snorkelling entre os recifes de coral do Parque Nacional de Ras Mohammed revela a vida marítima em cores quase demasiado brilhantes para ser verdade.

Se estás disposto a mergulhar ainda mais fundo, há um verdadeiro tesouro naufragado à tua espera. O leito do mar no Sinai é hoje o cemitério do navio SS Thistlegorm, da Marinha Mercante Britânica, que aqui se afundou em 1941 e foi descoberto uma década depois por, nem mais nem menos, que Jacques Cousteau. Para empreitadas mais secas, Sharm é muito perto dos deslumbrantes Monte Sinais, Gizé e o Nilo.

Mykonos, Grécia

Ficar sentado o dia inteiro debaixo de um sol abrasador pode não te soar muito tentador, mas dançar a noite toda enquanto sentes a brisa fresca do mar é outro campeonato. Para alguns dos melhores ‘brushings’ que o mundo tem para oferecer, não vás mais longe que A Ilha dos Ventos.

Com uma reputação que abarca continentes, a Praia do Paraíso é aquela miúda incansável que vê o sol nascer na pista, mas, desde a frente de praia até à baixa de Mykonos, a ilha inteira está comprometida com divertir-se à grande.

De manhã, um mergulhinho nas frias águas do Egeu certifica-se de te voltar a pôr de pé – ou então, descobre o sossego das ruelas em calçada e passa os dias a recuperar à sombra.

Railay, Tailândia

Nas férias de praia pode às vezes parecer que falta qualquer coisa no que toca à adrenalina – a não ser que te encontres rodeado pelas escarpas vertiginosas da península de Rai Leh.

Os amantes das emoções fortes não terão de procurar muito para encontrar oportunidades sérias para escalada e psicobloc, tal como muito mergulho, caving e caiaque. Se isso não chega, podes literalmente ir atirar-te de um penhasco – uma queda de 30 metros, para ser específico.
Para uma mudança total de cenário, vai até Krabi para uma expedição de trekking nas profundezas da selva. E depois há sempre as massagens tailandesas.

San Sebastian, Espanha

Há uma actividade na qual podemos todos contar quando estamos fartos de não fazer nada: comer. E os espanhóis fazem-no bem.

Bem-vindo a casa do ‘pintxo’, que significa pico ou farpa, aqueles deliciosos petiscos cheios de marisco fresco, presunto ibérico, queijos temperados ou basicamente tudo que possas imaginar espetado num palito (daí o nome). A melhor parte? O tamanhinho deles significa que não tens de escolher entre todas as opções de trazer água à boca. ¡Uno de cada por favor!

Se não sabes onde começar, sugerimos que peças um ‘Gilda’ – o pintxo mais emblemático de San Sebastian, que deve o nome à actriz Rita Hayworth, no divertido Fuego Negro.

Sim, as praias são lindas. A arquitectura – desde o barroco à Belle Époque até ao contemporâneo progressista – é deslumbrante. Mas, vamos lá, os intermináveis restaurantes com estrela Michelin e as tabernas de tapas são o verdadeiro movimento avant-garde desta cidade basca à beira-mar.

Saint-Malo, França

Numa manhã de tempestade, as ondas furiosas chicoteiam os baluartes da cidadela de Saint-Malo’– e não há praia à vista.

A maré baixa expõe um areal largo, mas este é secundário quando se olha o passado marinheiro albergado entre as muralhas desta vila centenária. Atenção aos maluquinhos por História: um porto fundamental nos séculos 17 e 18, Saint-Malo tornou-se famosa pela pirataria. Navios ingleses de pilhagem passavam pelo canal, e os malouins acumular quase um quarto de todo o ouro de França – até Louis XIV parava aqui quando precisava de uns trocos.

Quando estiveres farto de explorações, segue a dica da monarquia. O Rei contava com este cantinho da Bretanha para outro tipo de tesouro: ostras. A cidade piscatória de Cancale ainda é conhecida por esta delícia viscosa.

Major Cay, Bahamas

Basta pensares na areia a entranhar-se nos teus pés para começares a sentir comichão, mas esta ilha das Bahamas pode valer alguns passinhos cuidadosos. É verdade que muito pouco é esperado de ti neste país tropical além de ficares deitado na areia branca e chapinhar livremente nas águas límpidas do Atlântico, mas nem todas as praias podem gabar-se de terem porquinhos simpáticos a nadar no oceano.

A ilha desabitada de Big Major Cay, conhecida, por razões óbvias, como a Praia dos Porcos, alberga uma dúzia de porcos e leitões.

Embora ninguém saiba ao certo como foram ali parar, eles estão já completamente adaptados ao estilo de vida veraneante – e podes nadar e apanhar sol ali mesmo ao lado deles!

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...