Alen Mlekuz: «A segurança dos nossos passageiros é a nossa maior prioridade»

Numa conversa com o country manager da Qatar Airways, Alen Mlekuz, fomos saber qual a estratégia da companhia aérea para a retoma.

«A prioridade é a segurança máxima de todos os que viajam connosco, assim como do nosso staff», referiu em entrevista exclusiva à Viagens&Resorts Alen Mlekuz. Simultaneamente, a companhia aérea está neste momento a dar um sinal claro ao mercado de que está preparada para responder às necessidades que surgirem, e que quem voar com a Qatar Airways pode voar em segurança e com confiança.


Por Sandra M. Pinto

Quando vão retomar as vossas ligações desde e para Portugal?

A nossa rota Lisboa-Doha tem data prevista para recomeçar a partir de 5 de Julho, com três voos semanais em Julho e quatro semanais em Agosto. Estamos atentos às medidas em vigor e em contacto com entidades governamentais para nos certificarmos de que tudo é feito em conformidade, de forma a proporcionar a maior segurança possível.

De que forma perspectivam o Verão?

A Qatar Airways vai continuar a reconstrução gradual da sua rede com retoma de voos para vários destinos em todo o mundo, de acordo com a procura emergente, redução das restrições globais de viagens, e retoma de viagens dos segmentos business e leisure. Vamos restabelecer gradualmente destinos suspensos e frequências adicionais, de acordo com o relaxamento progressivo expectável das restrições de entrada em todo o mundo. Até ao final de Junho, o objectivo é ter 80 destinos no programa, incluindo 23 na Europa, quatro na América, 20 no Médio-Oriente/África e 33 na região Ásia-Pacífico. Muitas cidades serão servidas com um forte programa de frequências diárias ou superiores.

O foco da expansão gradual vai estar inicialmente em fortalecer as conexões entre o hub da companhia em Doha e os hubs globais das suas companhias parceiras à volta do mundo, incluindo Singapura, Banguecoque, Kuala Lumpur e Hong Kong, ao mesmo tempo que reabrimos muitos dos principais destinos de negócios e lazer, como Sydney, Mumbai, Tóquio, Bali e Shanghai.

Quais os principais desafios a que vão ter de dar resposta?

Neste momento, os principais desafios prendem-se com as restrições existentes nos diferentes países, quer restrições de entrada nos próprios países, quer restrições de aberturas de aeroportos. Trabalhamos com as autoridades nacionais governamentais e de saúde de forma permanente para explorar as melhores opções.

Como encaram o futuro?

Esta é uma altura de reorganização e reabertura da nossa larga rede. Ainda que em Portugal não tenhamos voado durante algum tempo devido às restrições implementadas, durante a pandemia continuámos a voar para mais de 30 destinos em todo o mundo.

Mantivemo-nos a voar quando outras companhias pararam, com uma óptima rede, programa e serviço. Transportámos mais de 1.8 milhões de pessoas de volta a casa. Comprometemo-nos e cumprimos a nossa missão durante a pandemia, tanto com os nossos passageiros como com o trade. Estivemos à altura do título que temos de “Melhor Companhia Aérea do Mundo” atribuído nos Skytrax Awards. Puderam confiar em nós durante a crise e podem confiar em nós ainda mais agora que as coisas começam a melhorar.

Além disto, desenvolvemos várias iniciativas para apoiar a comunidade. Um bom exemplo foram os 100 mil bilhetes grátis que oferecemos aos profissionais de saúde na linha da frente em todo o mundo. São gestos como estes que demonstram o ADN de resiliência que nos caracteriza. Durante o tempo em que fomos das únicas companhias do mundo que se mantiveram em actividade, recolhemos vários dados e padrões de tráfego que nos vão permitir organizar em termos de como esquematizamos a nossa oferta doravante.

Que medidas foram tomadas para assegurar a máxima segurança dos viajantes?

A segurança dos nossos passageiros é a nossa maior prioridade. Desde o início da pandemia, movimentámo-nos rapidamente e implementámos medidas adicionais de limpeza a bordo das nossas aeronaves e também no Aeroporto Internacional de Hamad (AIH), em linha com as recomendações da IATA e da OMS.

A bordo dos aviões, introduzimos a utilização de EPIs (Equipamento de Protecção Individual) para a nossa tripulação a bordo, assim como serviço modificado que reduz interacções entre passageiros e tripulação. Além disto, nos aviões com Qsuite, a nossa Classe Executiva premiada, existe a oportunidade para os passageiros criarem o seu próprio quarto a bordo. Fechando as portas da suite, fica criado um espaço com total privacidade. Os passageiros a viajar na Qsuite podem também colocar o sinal “Não incomodar”, caso desejem limitar as interacções com a tripulação.

No Aeroporto Internacional de Hamad (AIH), implementámos medidas tais como screening termal com capacetes tecnológicos, robots de limpeza autónomos equipados com luz ultravioleta, assim como limpeza regular das áreas de check-in, tapetes de bagagem e tabuleiros de segurança. É promovido também o distanciamento social através de sinalização.  Nota para o facto de que a Skytrax considerou recentemente o AIH como o “Terceiro Melhor Aeroporto do Mundo” e “Melhor Aeroporto do Médio Oriente” pelo sexto ano consecutivo. É um aeroporto de última geração que oferece incríveis conexões para passageiros.

A par de todas estas medidas, fomos também das primeiras companhias a oferecer uma política de reserva flexível. Somos a única companhia aérea que oferece quatro opções diferentes caso os voos sejam cancelados, podendo o passageiro escolher entre: guardar o bilhete (que é válido por 2 anos) e efectuar mudanças ilimitadas sem custos à data ou ao destino dentro de 5,000 milhas; Trocar por um voucher de viagem com 10% de valor adicional, válido por dois anos; Trocar por Qmiles, flexíveis e válidas por três anos; Solicitar o reembolso do valor para a forma de pagamento original.

Qual é hoje a maior prioridade para a companhia?

A prioridade é a segurança máxima de todos os que viajam connosco, assim como do nosso staff. Ao mesmo tempo, estamos a dar um sinal claro ao mercado de que estamos preparados para responder às necessidades que aparecerem e que quem voar com a Qatar Airways pode voar em segurança e com confiança.

Estivemos e vamos continuar a estar aqui para o trade em todas as alturas, com uma rede o mais estável possível, onde o que colocamos em sistema é o que pretendemos operar, ao contrário de outras companhias com alta probabilidade de cancelamento de serviços, o que acaba por colocar o trade em situações difíceis com clientes e passageiros.

Isto reitera o nosso compromisso com a excelência e com a segurança de todos os que connosco viajam.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...