Açores porta aberta para o mundo

Os Açores estão a duas horas de Portugal Continental e a sensivelmente 4h30 do continente americano.

Situadas em pleno Oceano Atlântico, as ilhas do arquipélago estão divididas em três grupos geográficos: o Grupo Oriental, composto por Santa Maria e São Miguel, o Grupo Central integra as ilhas Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial, e o Grupo Ocidental, constituído pelas ilhas do Corvo e das Flores.

A localização e as características geográficas do Arquipélago dos Açores fazem de cada uma das nove ilhas uma porta aberta para o mundo. As paisagens, o património, as experiências que oferecem, as gentes e costumes, a gastronomia e a própria História são motivos para descobrir um destino inesquecível com o seu par, em família ou com amigos e em qualquer altura do ano.

Nove ilhas, nove experiências

Em cada uma das nove ilhas a paisagem é singular – mas em todas elas é plural o encanto que permite a qualquer visitante ser transportado para um universo mágico e retemperador. É esta Natureza que assume, nos Açores, um papel fundamental, destinada a ser contemplada e experienciada.

Há um conjunto de actividades que merece ser experienciado em terra ou em mar. Passear a pé é descobrir recantos que não estão visíveis ao olhar de qualquer um. Paisagens únicas e variadas é apenas o início de uma descoberta às entranhas das ilhas, às quais se pode ter acesso através dos diversos percursos pedestres homologados e sinalizados ao longo das nove ilhas. Os trilhos existentes encantam os que caminham e aqueles que, a pedalar ou montando a cavalo, procuram novas emoções.

Para quem prefere o mar, e com temperaturas máximas do mar a rondar os 24ºC – 25ºC  no verão, a observação de cetáceos é, sem dúvida, uma actividade que tem nos Açores um verdadeiro santuário e que todos devem usufruir. Entre as espécies mais comuns de se observar está o Cachalote (Physeter macrocephalus), o gigante dos mares imortalizado no clássico Moby Dick, com dimensões que podem atingir os 18 metros de comprimento e as 44 toneladas de peso. Outras espécies comuns nos mares dos Açores são a Baleia Azul (Balaenoptera musculus) e a Baleia Comum (Balaenoptera physalus). Pelo mar dos Açores passa mais de um terço das espécies de cetáceos de todo o mundo.

O azul do Atlântico

O mar proporciona ainda mais aventuras que ficarão na memória por quem passa pelos Açores e certamente com vontade de as repetir. A excelência das ondas permite a prática dos desportos de ondas. A morfologia das diferentes ilhas possibilitam a prática do surf, Bodyboard, Sup, Windsurf para iniciados ou para os profissionais.

A diversidade também chega à mesa com os produtos mais frescos que fazem da gastronomia açoriana uma experiência única. Quer a carne como o peixe, ambos são de extrema qualidade. A alcatra de carne ou de peixe da ilha Terceira, o típico cozido das Furnas, o caldo de peixe da ilha do Pico ou a caldeirada de peixe da ilha das Flores são apenas alguns dos pratos tradicionais dos Açores. Não podendo esquecer como entrada o queijo São Jorge ou os enchidos e terminando com as queijadas da Graciosa ou os bolos Donas Amelias da ilha Terceira. O marisco fresco do mar também faz parte da rota gastronómica de todas ilhas, devidamente acompanhado com a excelência dos vinhos regionais.

O melhor destino

Por todas estas e outras razões é que os Açores estão nomeados para melhor destino insular da Europa nos World Travel Awards 2017 (WTA). São várias as distinções que os Açores recebem anualmente, desde prestigiados guias de turismo como o Lonely Planet ou como destino turístico mais sustentável do mundo pela Green Destinations. Os Açores são um local mágico, vivo e seguro onde os dias nunca são iguais!

 

 

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
Marcas deverão despedir 80 mil pessoas nos próximos anos