A caminho da América do Norte com a SATA

Destinos cada vez mais procurados, os Estados Unidos da América e o Canadá oferecem uma impressionante possibilidade de viagens fora de série.

Toronto, beleza canadiana

Empreendedora e dinâmica. Sendo certo que muitas mais possuí, estas são as duas principais e mais evidentes características da cidade de Toronto. Na verdade, a metrópole espelha aquilo que é o Canadá, um país avançado e moderno onde se vive com prazer.

Situada nas margens do lago Ontário, é habitada por cerca de 2,5 milhões de pessoas, às quais acrescem mais umas quantas que povoam a sua região metropolitana perfazendo um total de 6,1 milhões de habitantes. O clima que se vive diariamente nas suas ruas, nos seus espaços comerciais, nos seus centros financeiros é de puro dinamismo. Ali nada pára. Além dos locais, desde 1850 que é o destino escolhido por milhares de imigrantes que não só lhe trazem mais força de trabalho como a enriquecem com renovadas influências culturais. Uma grande percentagem desses imigrantes são portugueses, responsáveis por novos hábitos, por exemplo, gastronómicos. São muitos os restaurantes que transportam os sabores do bacalhau com batatas, dos pastéis de nata e do bom vinho português até estas paragens distantes, sobretudo na área de Kensington onde podemos encontrar Portugal Village, zona predominante “tuga” declarada “lugar histórico nacional” no passado dia 26 de Maio.

Motor da economia canadiana, Toronto é não só um destacado centro empresarial, como um essencial pólo financeiro, industrial e de telecomunicações. Não espanta pois que seja escolhida pelas mais importantes empresas para morada das suas sedes e centros de decisão. A cidade é detentora de um dos mais elevados padrões de vida da América do Norte oferecendo aos seus habitantes uma qualidade da vida digna de referência. Para tal situação muito contribui o factor segurança, hoje em dia tão necessária. Com uma baixíssima taxa de criminalidade, esta é uma das urbes mais seguras do país e daquela região do globo, factor essencial quando queremos “vender” turisticamente um destino. Com uma imensa variedade de atracções, sabe bem visitar Toronto. É bom passear nos seus parques e caminhar pelos seus bem cuidados espaços verdes. Falar com os seus habitantes é um prazer pois revelam-se pessoas simpáticas e disponíveis a dar uma ajuda quando o visitante perdeu o rumo… se lhe dizermos que esta é uma população culta não estranhe, pois nem outra coisa seria de esperar numa cidade onde existem 99 bibliotecas públicas com o segundo maior volume de visitas do mundo, logo a seguir a Hong Kong!

Os habitantes da cidade adoram desporto e o rei não é o futebol, mas sim o hóquei, seguido de perto pelo basquetebol. Ambos jogam-se no Air Canada Centre (www.theaircanadacentre.com), espaço também escolhido para palco de espectáculos de música de nomes internacionais.

Pode não estar na primeira linha das escolhas de destinos de férias, mas Toronto está claramente no topo da lista daqueles lugares que todos devíamos visitar pelos menos uma vez na vida. Aceite a sugestão e boa viagem!

Boston, a académica

Boston é reconhecida pela sua importância financeira, comercial e universitária. Fundada pelos ingleses no século XVII, foi palco da famosa revolta Boston Tea Party, que deu início ao processo de independência dos EUA. Desse tempo ficou-lhe não só o gosto pela mudança, como a sensibilidade para receber bem quem a procura. Esta é, na realidade, uma cidade acolhedora.

É com inegável orgulho que Boston fala do seu passado e da sua história, a qual podemos acompanhar ao visitarmos os inúmeros testemunhos que dela ficaram. Ali a história não se limita às quatros paredes de um museu, ali a história está um pouco por todo o lado, em particular ao longo do Freedom Trail, trajecto pleno de simbolismo pois reproduz a evolução da Boston colonial e a sua luta pela liberdade e independência. Moderna e com um ar muito europeu, é a morada de mais de 100 faculdades e universidades, sendo as mais conhecidas a Universidade de Harvard e o MIT, Massachusetts Institute of Technology. Tal facto atribui-lhe uma vivência muito particular e jovem.

O que em Boston quase parece retirado de um filme dá pelo nome de Central Artery/Tunnel Project. Também conhecido como Big Dig, foi a maior e mais cara obra pública na história dos EUA, tendo sido considerado pelos especialistas como um dos mais complexos projectos de engenharia civil do mundo. O Big Dig tinha como objectivo último o melhoramento e ampliação do complexo rodoviário da cidade de Boston, considerado um dos mais congestionados da América, através da substituição da auto-estrada Central Artery, de seis faixas, por um conjunto de auto-estradas subterrâneas com oito a 10 faixas de rodagem. Em complemento foram também construídas duas pontes sobre o rio Charles e ampliada a auto-estrada I-90 até ao Logan International Airport. Tudo isto possibilitou uma diminuição da poluição ambiental que caracterizava a cidade, uma maior fluidez do tráfego rodoviário numa das zonas mais concorridas dos EUA e o aparecimento de inúmeros espaços verdes. O Big Dig fez com que Boston se reencontrasse com a zona ribeirinha e fizesse as pazes com os tempos modernos. Esta é uma cidade que de forma inteligente cresceu sem perder a alma ou sequer o rumo.

 

 

 

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nova Kinda de Oeiras tem um corredor infinito e um Design Studio
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira