7 maravilhas de origem portuguesa para visitar no mundo

Desde África, até às Américas ou Ásia, espreita em baixo os monumentos portugueses que nos ajudam a manter viva a cultura portuguesa.

Cidade Velha de Santiago, Cabo Verde

A influência colonial portuguesa foi uma das maiores armas de conservação da cultura portuguesa. E um dos lugares que mais conseguiu transmitir isso a papel químico até aos dias de hoje é, não surpreendentemente, o continente africano. Voemos para Cabo Verde, até à Cidade Velha de Santiago. Estamos na primeira cidade construída pelos europeus a sul do deserto do Saara e considerada em 2009 como uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo. A sua multiplicidade e riquezas locais fazem dela um lugar de excelência onde o património português mais se notabilizou além fronteiras: desde pelourinhos, a igrejas de estilo manuelino, à Companhia de Jesus, urbanização das ruas… Antes chamada Ribeira Grande, no século XV, esta foi a primeira capital de Cabo Verde e a sede da primeira diocese da costa ocidental africana. E, claro, foi aqui também que os navegadores corajosos, Vasco da Gama e Cristóvão Colombo, fizeram escala para chegar à Índia e às Américas, respetivamente.

Fortaleza de Mazagão, Marrocos

Portuguese Cistern in El Jadida, Morocco

Se tivéssemos vivido pelo ano 1541, teríamos visto este monumento a ser construído. Mas, no entanto, ainda vamos a tempo de saborear a sua imagem. A Fortaleza de Mazagão, em Marrocos, é atualmente um dos monumentos portugueses e uma das fortalezas portuguesas em melhor estado de conservação, onde se pode ver uma mistura de cultura portuguesa e marroquina. A sua sala tem um formato de estrelas, muralhas ligeiramente inclinadas e cerca de 8 metros de altura e 10 de espessura. Acredita-se que serviria para armazenamento de armas, antes de ser transformar num reservatório de água, na qual reflete a luz que entra pelo amplo óculo no topo. Há, ainda, um grande número de peças de artilharia portuguesa em exposição nas canhoneiras. Não fiques espantado se te contarmos que este lugar já serviu também de inspiração e de empréstimo a cenários da Sétima Arte em filmes produzidos, por exemplo, por Francis Ford Coppola.

Fortaleza de Diu, Índia

Rochosa, penetrante. Este património cultural português é dos mais robustos monumentos portugueses existentes. E é por essas razões, que ela foi eleita uma das maravilhas. A Fortaleza de Diu, na Índia, teve o seu início em 1535 e foi considerada uma das fortificações mais bem conseguidas no Estado Português da Índia. Estrategicamente bem colocada, sofreu diversos ataques de árabes, turcos e indianos, e permaneceu intacta na sua raiz. Foi um importante lugar no comércio marítimo das especiarias e sedas, e os sete quilómetros de perímetro conferem-lhe um tamanho motivo de orgulho para quem vive em Diu. Não te esqueças: quando estiveres a planear o teu retiro espiritual na Índia, coloca a Fortaleza de Diu nos locais obrigatórios a visitar.

Basílica do Bom Jesus, Índia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Nasceu e cresceu em apenas nove anos (um recorde de construção para o século XVI) e é o berço do túmulo de São Francisco Xavier, considerado o Apóstolo do Oriente. Em 1946, tornou-se na primeira basílica da Índia, contudo continua sendo dos monumentos portugueses onde ainda é possível fazer peregrinação nos dias de hoje. Lá dentro, podes pisar o chão feito de mármore e as pedras preciosas incrustadas. O altar é dedicado a Santo Inácio de Loiola e as suas colunas são jónicas, dóricas e coríntias.

Igreja de São Francisco de Assis da Penitência, Brasil

Estamos em Ouro Preto, no estado de Minas Gerais, no Brasil! A decoração barroca faz da Igreja de São Francisco da Penitência uma das mais importantes da cidade e erguida entre 1790 e 1794 pela Ordem Terceira de São Francisco de Assis. A fachada deste edifício, pouco comum para coisas religiosas, desde logo faz com que se destaque. Os portais são de pedra de lioz e os cunhais torcidos e barrocos. No interior, o espanto é coisa que não te vai faltar. Com talha dourada nos altares e paredes e pintura de forro de madeira no teto, a igreja vai impingir-te um sentimento de respeito por tamanha grandiosidade. Sim, e não te admires. Isto este património português, é obra dos portugueses (claro!) Manuel de Brito e Francisco Xavier de Brito e de Caetano da Costa Coelho, este último responsável pela pintura no teto. Hoje, a igreja é também Museu de Arte Sacra.

Convento de São Francisco e Ordem Terceira, Brasil

Ainda no Brasil, este convento prima pela beleza dos seus espaços conventuais com a sua igreja e o poder dos seus azulejos decorativos. Construído a partir de 1713, pela mão de Manuel Quaresma, o edifício tem detalhes incríveis como a história do casamento do futuro rei D. José com a princesa D. Mariana Vitória contada no claustro da igreja, ou ainda como era Lisboa antes dos terramoto de 1755, em mais de 1500 quadrados de azulejos. É um dos melhores monumentos portugueses e um dos melhores exemplos de arte Barroca no Brasil e tem origem nos tempos em que Portugal era um gigante colonizador. Até o arenito que cobre a fachada da igreja foi de Portugal para o outro lado do Atlântico.

Igreja de São Paulo, Macau – China

Macau, um antigo lugar onde até há bem pouco tempo se ouvia conversar em português em todas as esquinas. Agora, já sob administração chinesa, o território macaense ainda mantém algumas influência do pequeno retângulo mais a ocidente da Europa. Neste caso em específico, a influência de Portugal viajou também até à Ásia e desta se ergueu a Igreja de São Paulo, composta pelo Colégio (primeira instituição de ensino ocidental no Oriente) e as famosas ruínas de São Paulo. No topo de uma valente escadaria de granito com 68 degraus, está a grandiosa fachada da igreja, que foi destruída em 1835 por um grande incêndio. A beleza desta herança cultural portuguesa foi incluída no Centro Histórico de Macau.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...